14 julho, 2006

samba do chimarrão crioulo doido


Eu sou catarina e faço chimas melhor que muito gaúcho, embora eu sempre, SEMPRE me queime com água quente na hora de servir. Mas isso já é coisa de gente monga mesmo, o que não quer dizer que seja a mesma coisa que catarina, ao contrário do que muitos possam pensar (efeito luzitano, saca?). Que meu amigo português não leia isso. Pedro, nada pessoal.

Eu tomo mate QUASE todos os dias. É menos ritualístico do que eu gostaria, porque eu aprecio muito a coisa toda, mas às vezes não dá tempo de fazer e tomar antes de sair para a aula ou para o trampo. E tomar à noite eu não curto muito porque esse troço verde e amargo me tira o sono. Para ficar estudando até tarde funciona bem.

Se for comprar uma cuia, não compre muito grande, pois gasta muita erva. Tem um lance de "curtir" a cuia recém comprada também, antes de iniciar o uso. Parece que tem que deixá-la um dia inteiro com erva até a boca, mas acho que isso é bobagem. Dá pra ir curtindo nas primeiras tomadas. Outra: se tu saiu pra tomar mate na rua, não levou erva e lá pelas tantas o chimarrão ficou lavado (gasto), "vire" a erva, ou seja, troque ela de lugar, passando o montinho para o outro lado. Daí é só tacar água de novo (água quente é sempre mais fácil de conseguir) que parece que o chimas tá fresquinho. Essa dica é velha conhecida aqui no sul, mas quem não é daqui talvez não saiba.

Mais dicas pra iniciação ao bom mate:

- Eu prefiro a erva grossa à fina. Entope menos a bomba;
- A água para inchar a erva deve ser morna para não "queimar" o mate, pois a primeira água, se for muito quente, dá essa queimada e isso potencializa o amarguito. Mas fica um amargo meio do mal. Não bom;
- Dizem que chimarrão demais dá câncer de garganta. Mas pra mim isso é mais uma daquelas pesquisas total frau;
- Não deixe a erva muito tempo na cuia entre uma mateada e outra se você não quiser que ela seja colonizada por fungos. Também não bom, até por que não são daqueles que dão barato.

Acompanhamentos que eu curto às pampas com um bom mate:

- Passeio no parque (ou praia). Escolha o mais aprazível na sua cidade, sente-se num banco e fique mateando;
- Alguém que você goste e que goste de chimarrão;
- Cigarrinho. É uma delícia (pra quem fuma);
- Pinhão (coisas de inverno sulista...);
- Chocolate. O meio amargo e o mate amargo;
- Bolo de cenoura com cobertura de chocolate. Mas de canto, se não rola um efeito estufa do mal;
- Depois de tanta larica listada não me façam ser mais explícita...

Esse post foi totalmente baseado em experiências próprias, inclusive a parte da proliferação de fungos.

10 comentários:

Lola disse...

haha,perfeito,aqui em sp td mundo acha que sou patológica por beber isso,mas bebem chá verde frio(ugh)pq tá na moda...

mauren disse...

ah, mana, chá verde é bom. tá, eu tenho problemas... mas eu bebo quente!
:P

Khronos disse...

Se o chá verde que vocês falam é o q eu penso, é terrivel xD
Hum.. a bomba eu tenho (do meu avô), cuia tb. Só falta o mate e a coragem xD
Destaque pro último quadrinho, quando sobra espaço (ou tempo) e a pessoa fica boiando rs

jucão disse...

poxa, achoq ue depois disso tudo até mesmo eu começarei a tomar mate.
não amargo, que fique claro.
será que fica bom com um chocolatinho derretido dentro?

Ana Martins disse...

Eu tive um namorado gaúcho e ele fazia o chimarrão pra gente. Eu gostava. Ele ainda tinha uma garrafa térmica que nela tinha pintado um poema muito bonito de uma parte da história do Sul.

mauren disse...

Juca, aproveita a erva que a gente comprou aquele dia. :D
No interior pessoal usamuito colocar açúcar o mate, fica mei bizarro. Eu gosto do amarguito. Amargo como a vida. Oh! Hehe

Ana, dizem que os mineiro são ainda mais grosseiros que os gaúchos. Tipo, mais grosso do que dedo destroncado.

laudelino disse...

nunca tomei chimarrão.

mauren disse...

pô, laudas. tem que tomar.

Plínio disse...

Colei essa tirinha na parede do apto. Agora aprendo a preparar o mate.

mauren disse...

Boa sorte, Plínio. ;D